Edição 1 - Dezembro

Ver mais notícias

Mais biopolímeros da Braskem no mercado

A Braskem vai ampliar a capacidade de produção de sua planta de eteno verde, no Rio Grande do Sul (Brasil), de 200 mil toneladas/ano para 260 mil toneladas anuais.

O projeto de expansão terá início ainda em 2021, com previsão de entrega em 2022, e reflete a demanda da sociedade por produtos com melhor impacto. "Não é mais possível pensar em modelo de negócio que não considere processos produtivos com menor impacto ambiental e aderência a práticas de economia circular", destaca Marco Jansen, responsável global por biopolímeros na Braskem.

Com a expansão, a Braskem se manterá como líder na produção de biopolímeros no mundo, posição que ocupamos desde o início da produção de eteno verde em escala industrial, em 2010.

O INÍCIO DE TUDO

Em 2007, a Braskem deu um grande passo, globalmente reconhecido, aliando inovação e sustentabilidade, e trouxe para o mercado o primeiro polietileno (PE) de origem renovável do mundo, representado hoje pela marca I'm greenTM bio-based.

Produzido a partir do etanol da cana-de-açúcar, o polietileno e o EVA I'm greenTM bio-based tem a vantagem de capturar gás carbônico da atmosfera durante sua produção, contribuindo para reduzir as emissões de gases do efeito estufa.



NOSSA META DE NEUTRALIZAÇÃO DE CARBONO

Uma das metas que fazem parte do compromisso da Braskem com a economia circular é tornar-se uma empresa carbono neutro até 2050 . "A neutralização de carbono é um dos caminhos mais viáveis para minimizar os impactos das mudanças climáticas. Estamos trabalhando fortemente para isso", destaca Jansen.