Eficiência Hídrica.

A água é um recurso crítico e essencial para a vida. Utilizá-la de forma racional é uma premissa para assegurar um futuro digno e com qualidade para todos. Segundo estudos do Worldwatch Institute (WWI), em 2030, quando seremos 9 bilhões de pessoas no mundo, a estimativa é que a demanda por água seja 30% maior do que hoje.

Este é um grande desafio global que requer a atenção e iniciativa de todos – cidadãos, empresas, governos, organizações do terceiro setor.

Desde a formação da Braskem, em 2002, temos implantado iniciativas para melhorar continuamente nossos processos que envolvem água.

Temos um forte compromisso com a preservação da água e nossos investimentos já superaram R$ 280 milhões em projetos de eficiência hídrica e no tratamento de efluentes para reúso nas operações, esforço que tem gerado resultados relevantes.

De acordo com dados do International Council of Chemicals Associations (ICCA), a Braskem é uma das indústrias químicas que menos consome água no mundo – cerca de seis vezes menos do que a média global. Além disso, fazemos parte da “A List” do CDP Water, que reconhece as melhores empresas de capital aberto no mundo em relação ao gerenciamento do uso da água. Hoje somos parte do seleto grupo de 1% das empresas no mundo que ingressaram na “A List”.

Água limpa e saneamento

Meta 6.1

Meta 6.2

Meta 6.3

Meta 6.4

Meta 6.5

Meta 6.6

Meta 6.A

Meta 6.B

Compromissos, Reconhecimentos e Fóruns

Desde 2002, temos atuado de forma ativa e profunda na questão da água. Isso porque entendemos que a Braskem é parte da solução para o uso eficiente e responsável dos recursos hídricos. Ao longo desta jornada, nosso foco não tem sido apenas melhorar a pegada hídrica, mas também atuar em parceria com a cadeia de clientes e fornecedores e com parceiros estratégicos para desenvolver novos produtos, aplicações e soluções que contribuam para a melhoria da eficiência no uso da água.

Confira alguns destaques relacionados à atuação da Braskem no tema da água:

Compromissos

Compromisso Empresarial Brasileiro pela Segurança Hídrica (CEBDS)

As metas assumidas pela Braskem são públicas e podem ser consultadas na plataforma aquasfera: http://cebds.org/aquasfera/

Participante do Programa CDP Water e CDP Supply Chain Water

Participante do CEO Water Mandate

Fóruns

  • - Liderança do Movimento “Menos Perda, Mais Água (Rede Brasil do Pacto Global – ONU)
  • - Liderança do Grupo de Meio Ambiente da ABIQUIM
  • - Membro do Steering Committee do CEO Water Mandate
  • - Membro do Grupo Temático sobre Água da Rede Brasil do Pacto Global da ONU
  • - Membro da Rede Brasil de Recursos Hídricos da CNI
  • - Membro da Câmara Temática sobre Água (CEBDS)

Reconhecimento

  • - CDP Water (“A List”)
  • - CDP Supply Chain Water (“A List”)

Políticas e metas

A eficiência hídrica é um dos temas mais relevantes na estratégia da Braskem para o Desenvolvimento Sustentável e está presente em nossas políticas e diretrizes internas com a especificação de metas e procedimentos que asseguram gestão responsável e focada em excelência. Confira a seguir:

Política Global de Desenvolvimento Sustentável

Melhorar a ecoeficiência no uso da água (consumo, reúso, descarte e fontes alternativas)

Apoiar a cadeia de clientes e a sociedade como agente ativo no desenvolvimento de soluções que contribuam para a disponibilidade de água e saneamento bem como para a preservação do recurso hídrico, em especial as águas subterrâneas

Clique aqui para acessar a política global de desenvolvimento sustentável.

Consumo de água

  • Plano de monitoramento de riscos e impactos decorrentes do uso da água
  • Plano de análise do solo e/ou águas subterrâneas para identificação de contaminantes reais ou potencias bem como estabelecimento de medidas de controle, prevenção e remediação
  • Implantação de sistema para suportar água de chuvas, evitando inundações e transbordamentos

Geração de efluentes

  • Redução da evaporação de fluidos voláteis
  • Segregação de água limpa de água contaminada
  • Envio de água contaminada e resíduos para sistema de drenagem específico

Gerenciamento de impactos ambientais

  • Projeção ou modificação de todos os equipamentos, instalações e processos considerando os impactos ambientais associados a eles
  • Identificação das principais fontes de geração de efluentes líquidos e consumo de água bem como dos impactos ambientais decorrentes em situação normal e emergencial
  • Controles preventivos para minimização da geração de efluentes, atendimento às especificações e do consumo de água
  • Atendimento a padrões de confiabilidade metrológica em equipamentos de monitoramento de eficiência hídrica
  • Disponibilidade de informações/documentos relacionados a impactos ambientais para todas as partes interessadas

  • Manter o índice de consumo de água (m³/t) abaixo da média do consumo da indústria química mundial, ou seja, 26,64 m³/t (dados de 2014).
  • Aumentar gradativamente o percentual de reúso de água, em 2020 para 25%; em 2025 para 30%; e em 2030 para 50%.

Clique aqui para visualizar os macro-objetivos.

Riscos, Oportunidades e Adaptação

Encontrar soluções para o problema da escassez hídrica é um dos grandes desafios globais da atualidade. A indústria é responsável hoje por cerca de 20% do consumo de água no mundo, o que requer uma postura ativa do setor em ações focadas no uso racional e preservação deste recurso fundamental.

Para melhor entender os potenciais riscos hídricos que poderiam impactar nossos negócios, realizamos um estudo sobre os cenários de exposição às mudanças climáticas até 2040. O levantamento resultou no Plano de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas , que apontou o risco de escassez hídrica como o de maior potencial para as operações da Braskem.

Diante deste cenário, temos consciência da necessidade de utilizar a água a favor da vida, de forma eficiente e responsável, e estamos focados na implantação de iniciativas que impactem positivamente em sua preservação.

Confira a seguir alguns exemplos de iniciativas e soluções da Braskem em eficiência hídrica:

A eficiência hídrica é um dos temas mais relevantes na estratégia da Braskem para o Desenvolvimento Sustentável e está presente em nossas políticas e diretrizes internas com a especificação de metas e procedimentos que asseguram gestão responsável e focada em excelência. Confira a seguir:

O Aquapolo, em operação desde 2012, é o maior projeto de reúso de água na América Latina. Fruto de uma parceria inovadora entre Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), BRK Ambiental e Braskem, o projeto trata água de esgoto da Estação de Tratamento de Esgoto do ABC para qualidade industrial e a fornece para as empresas do Polo Petroquímico do Grande ABC. A Braskem consome 65% da capacidade de água de reúso gerada por meio do Aquapolo, o que permitiu a continuidade normal da produção das plantas da Braskem durante a crise hídrica do sudeste brasileiro em 2015, poupando a empresa de sofrer com perdas financeiras de mais de R$ 200 milhões. A iniciativa liberou o consumo de água potável para a população da região do Grande ABC em um volume equivalente a 10 mil piscinas olímpicas e eliminou o lançamento de efluentes tratados no rio Tamanduateí. O projeto é altamente replicável e a Braskem tem estudado aplicações similares em outras unidades da empresa em regiões com alto risco potencial de escassez hídrica.

gota

O tratamento de esgoto é essencial para a saúde da população e preservação dos recursos naturais, mas infelizmente ainda não está ao alcance de todos. A Braskem tem buscado participar da construção de soluções sustentáveis por meio da química e do plástico que tenham potencial de melhorar a vida das pessoas e o projeto Gota é uma iniciativa alinhada a este objetivo. Em parceria com a Prefeitura de Mogi das Cruzes (São Paulo) e o Instituto Trata Brasil, a Braskem aderiu ao programa “Mogi+Água”, que prevê a instalação de mini estações domiciliares para tratamento de esgoto inicialmente em 10 localidades em áreas rurais do município. A estação de tratamento é um sistema de alta eficiência e baixo custo desenvolvida em polietileno de alta densidade (PEAD). A primeira etapa do projeto, que contempla a instalação das estações nas residências, já está em curso e será expandida para 60 residências. A próxima etapa do projeto é acompanhar o desempenho das estações por 12 meses para que, observados os resultados, o projeto possa ser ampliado.

As tubulações de plástico tem se mostrado uma alternativa vantajosa para redes de saneamento e distribuição de água. As soluções em polietileno (PEAD) trazem resultados expressivos na redução do volume de perdas, permitindo que um maior número de pessoas tenha acesso à água tratada. O PVC também é amplamente utilizado em sistemas de saneamento e distribuição. Uma parceria entre a Braskem e a Politejo, que oferece soluções para a área de infraestrutura, trouxe ao Brasil o “PVC O Biomundial”, uma tecnologia inteligente bastante utilizada na Europa que une leveza e alta resistência, mostrando resultados positivos em sustentabilidade, com reduções no tempo e consumo de energia durante as etapas de transporte e instalação de tubulações.

 

A utilização do plástico na agricultura tem se mostrado relevante para assegurar a utilização racional da água. Por meio de parceria com clientes, atuamos para desenvolver e disponibilizar soluções, como o mulching, filme plástico para cobertura do solo, que elimina a necessidade de aplicação de herbicidas e mantém a umidade do terreno e o sistema de irrigação por gotejamento, que transforma solos áridos em terras produtivas, reduzindo perdas e o consumo de água em até 50% quando comparado com outros sistemas de irrigação. Para saber mais sobre as soluções sustentáveis em plástico para o agronegócio, clique aqui .

A Braskem, em parceria com a Sanasa, é líder do movimento “Menos Perdas, mais Água” da Rede Brasil do Pacto Global (ONU). O objetivo é unir forças para gerar soluções para a preservação e uso racional da água, ampliando a eficiência na gestão hídrica e reduzindo o número de pessoas que sofrem com a escassez de água no Brasil. As empresas participantes do movimento têm atuado engajando municípios, estimulando o conhecimento da população e capacitando gestores. Algumas iniciativas também são realizadas para embasar e direcionar as ações das empresas, governos e população em relação à água, como por exemplo os estudos “ Perdas de água – Desafios para disponibilidade hídrica e avanço da eficiência do saneamento básico ” e “ Perdas de água nos sistemas de distribuição como agravante à vulnerabilidade das bacias hidrográficas - o caso das bacias PCJ ”.

O guia “ Economia circular de água ” foi desenvolvido pelo CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), com o apoio da Braskem, para auxiliar as empresas brasileiras na implementação de uma economia circular de água em seus processos industriais por meio de estratégias que considerem a prevenção às situações de riscos ligados ao recurso. O Guia também traz informações sobre a abordagem 5R (reutilização, reúso, reciclagem, recuperação de recursos e restauração de ambientes).

Indicadores

Os indicadores relacionados à água são acompanhados de forma rigorosa em todas as unidades da Braskem, visando sempre a identificação de potenciais melhorias para que a empresa possa se manter em um patamar de consumo inferior à média da indústria química mundial, além de aumentar o percentual de água de reúso. Confira a seguir alguns números do último período (2018):

Investimento em
eficiência hídrica

R$ 280 milhões desde 2002

Consumo de água (m³/ton)

2002 ... 2014 2015 2016 2017 2018 META 2019
4,14   4,16 4,05 3,93 3,98 4,28 4,09
Origem água superficial água subterrânea água do mar água produzida água adquirida (terceira Parte)
volume (megalitros) 20,7 4,2 0 0 54,2

Reuso de água

Tipo de Reúso 2014 2015 2016 2017 2018
Melhorias de processos¹ 17,2% 15,6% 16,2% 16,6% 16,0%
Reúso Inerente² 11,0% 9,5% 8,3% 10,4% 10,3%
Reúso Total 28,2% 25,1% 24,5% 25,8% 26,3%

¹Reúso de Melhorias em Processos é todo aquele que vem de modificações nas unidades atuais, incluindo ou melhorando processos

²Reúso inerente é todo aquele que nasceu com a unidade industrial e faz parte do processo original da planta. Sempre utilizado o valor do ano anterior em função da complexidade de gerar o número

Geração de
efluentes líquidos (m³/ton)

2002 ... 2014 2015 2016 2017 2018 META 2019
1,94   1,28 1,15 1,11 1,06 1,19 1,12
águas superficiais (megalitros/ano) água subterrâneas (megalitros/
ano)
oceano (megalitros/ano) terceira
parte (para uso) (megalitros/
ano)
outros¹ (megalitros/ano)
7,3 0 9,5 0,1 4,1

Processo para estudo, desenvolvimento e aprovação de projetos de segurança hídrica

Para mais informações, acesse o

Relatório Anual Braskem