Noticias Braskem

Combate às
Mudanças Climáticas

Temos a ambição de estarmos na liderança global das petroquímicas com os melhores indicadores em termos de emissão de GEE e um player chave na captura de carbono através da produção de materiais com matérias-primas renováveis. Até 2030, buscamos reduzir em 15% as emissões de gases de efeito estufa nos escopos 1 e 2; e alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

Combate às
Mudanças Climáticas

Voltar

Estarmos na

liderança global das petroquímicas

com os melhores indicadores em termos de emissão de GEE e um player chave na captura de carbono através da produção de materiais com matérias-primas renováveis.

Até 2030, reduzir em

15% as emissões gases de efeito estufa

nos escopos 1 e 2.
Alcançar a

neutralidade de carbono

até 2050.

Nossa atuação

Reduzimos em mais de 17% a intensidade de emissões de gases de efeitos estufa entre 2008 e 2020. Alcançando 94% da meta de longo prazo para mudanças climáticas, planejadas para 2020. Essa redução evitou a emissão de quase 30 milhões de ton. de CO2 e o que equivale a plantar mais de 200 milhões de árvores.

REDUÇÃO DE EMISSÕES

Adotamos diversas ações para incentivar a eficiência energética e o uso de fontes de energia renovável.

Como resultado, nos últimos 13 anos, conseguimos reduzir as emissões de CO2 em torno de 17%. Esse esforço deverá se refletir no atingimento da nossa meta intermediária, de reduzir em 15% as emissões totais de gases de efeito-estufa até 2030, saindo dos atuais 10,8 milhões em 2019 (último dado disponível) para 9,2 milhões de toneladas de CO2.

COMPENSAÇÃO

Nossa estratégia de compensação de emissões está atrelada ao uso de matérias primas renováveis como parte do nosso portfólio. Desde 2010, ao longo dos seus 10 anos de existência, o I’m greenTM evitou a emissão de ao menos 5,54 milhões de toneladas de CO2, o que equivale a mais de um ano das emissões automotivas na cidade de São Paulo. Vale destacar que a resina produzida da cana-de-açúcar ainda captura até 3,09 toneladas de gás carbônico durante seu processo produtivo, contribuindo duplamente para a emissões de gases do efeito estufa e mantendo o mesmo desempenho das resinas convencionais. 

Para atender o crescimento na demanda da sociedade e dos nossos parceiros por produtos sustentáveis, que tem aumentado consideravelmente nos últimos anos, investimos US$ 61 milhões na expansão da produção de biopolímeros. Iremos aumentar nossa capacidade de produção de eteno verde, produzido pela unidade industrial de Triunfo, no Rio Grande do Sul, que passará de uma capacidade de produção de 200 mil para 260 mil toneladas por ano. O projeto, que tem como objetivo manter a Braskem na liderança do mercado de biopolímeros, será iniciado em 2021 e deve ser finalizado no quarto trimestre de 2022. 

CAPTURA DE CARBONO

A partir do nosso compromisso com a inovação sustentável, firmamos uma parceria com a Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, para pesquisar alternativas de desenvolvimento de eteno a partir da captura e utilização do gás carbônico (CO2) emitido em processos industriais, em especial da queima de combustíveis. O projeto está em fase inicial de desenvolvimento e nossa missão será somar com nosso know-how na comercialização de matérias-primas e produção de polímeros. O objetivo final é avaliar a possibilidade de capturar e converter o CO2 emitido em nossa operação em matéria-prima para produção de polímeros.

Em 2014, desenvolvemos um estudo para identificar oportunidades e riscos climáticos em 100% das nossas operações. A partir disso, criamos um plano de adaptação com ações para mitigar ou reduzir todos os potenciais riscos climáticos mais significativos. Nossa meta é que todas as ações sejam implantadas até 2023.

Em 2020 atingimos 72% de cumprimento do nosso Plano de Adaptação, com destaque para a conclusão de ações relativas a ameaça de Tempestades fortes/descargas elétricas em todas as unidades, o potencial impacto de maior abrangência mapeado (em termo do número de operações impactadas).

Como próximos passos, está planejada uma reavaliação do risco residual de todas as potenciais ameaças que tiveram 100% das ações concluídas, garantindo assim o fortalecimento da resiliência da empresa frente esses potenciais eventos extremos.

Como parte deste plano, temos a meta de garantir que toda a água utilizada pela Braskem venha de origem com baixo risco de fornecimento. Dado o desafiador cenário global – a avaliação de risco hídrica apontou o risco de secas severas como sendo o maior risco potencial no Brasil – essas avaliações são realizadas periodicamente e consideram a quantidade e qualidade de água necessária para operação de todas as suas plantas por região. Atualmente, temos um índice de segurança hídrica de 83%, com apenas 18,6% do nosso consumo de água vindo de fontes de stress hídrico alto ou muito alto.

CONHEÇA NOSSOS PROJETOS